NIEP-Marx/UFF

Grupo de Trabalho Empresariado e Ditadura

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Grupos conectados ao GTO

Breve descrição dos grupos e núcleos de pesquisa que estão conectados ao GTO.

 

NIEP-Marx/UFF - A partir de 2001, organizado a partir do LDH, elaboramos e realizamos o Curso de Extensão “Realidade Brasileira”, que agrupou docentes de outras áreas além da História. A partir do estreitamento do contato propiciado pela formulação e execução do “Realidade Brasileira”, criamos o NIEP-Marx-UFF – Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas sobre Marx e o Marxismo, cujo pequeno grupo original era composto por mim, Marcelo Badaró Mattos, Maurício Vieira Martins, Mario Duayer, Juarez Duayer e João Leonardo Medeiros. O NIEP-Marx, originalmente sediado no LDH, posteriormente o absorveu. O NIEP-Marx cresceu e envolve grande número de docentes da UFF, além de associados nacionais e internacionais. Assegura, tal como o LDH, porém em muito maior escala, uma forte conexão entre pesquisadores com temas variados, mas que constituem uma interlocução permanente entre tradições diversas no próprio marxismo, estudos críticos sobre diversas áreas teóricas, e investigações diversas em teoria e filosofia, história, sociologia, economia, educação e arquitetura. Muitos participantes do GTO integram também o NIEP-Marx/UFF. Site NIEP

 

Grupo de Trabalho Empresariado e Ditadura - Criado em 2017, no Rio de Janeiro, é integrado por uma equipe de pesquisadores das áreas da História e da Administração de diferentes instituições. O objetivo do grupo é pesquisar as relações entre os grandes grupos econômicos e a ditadura empresarial-militar, que se instalou no Brasil em 1964, e tentar avançar na compreensão do papel que os empresários cumpriram durante  a vigência da ditadura. Trata-se de um regime político que contou com significativa participação do empresariado, sobretudo, o de grande porte e vinculado ao capital estrangeiro. Desde o golpe, esses agentes cumpriram decisiva participação política, o que se estendeu ao longo dos mais de 20 anos do regime, sendo que vários deles cumpriram funções e atuaram em cargos-chaves do aparelho do Estado naquele período. Foram ainda beneficiários diretos dadas políticas estatais aplicadas pela ditadura, que apontavam para um intenso e veloz processo de modernização capitalista autoritária e excludente. Facebook